Terça-feira, 27 de Novembro de 2007

Stôra, dá-me uma mãozinha?

Inspirada num post da Cátia, decidi contar-vos um dos meus momentos mais pitorescos como professora... se  pitoresco é uma palavra adequada para se usar neste caso...


Aqui há dois anos, fui dar aulas para um Centro Educativo da região de Lisboa. Não sei se sabem o que é um Centro Educativo, mas é um local onde os adolescentes que cometem crimes ficam até aos 18 anos. É uma espécie de "reformatório". Eu e os meus colegas fomos lá parar através do concurso normal de professores, sem qualquer escolha no caso.
Aquilo era um local complicado, com muitas regras... os guardas na porta, as grades da janela, o ter de recolher os lápis e canetas e verificar se os alunos não ficavam com nenhum... e os miúdos? Estavam lá pelas mais variadas razões, desde homicídios, a violações, líderes de gangs, roubos...


A meio do ano chegou o André. Com 16 anos, era bem maior que eu e tinha a mania que era engraçado. Achou-me piada e passava as aulas todas a chatear-me com comentários do género "Ai, stôra, esses seus lábios!" (deixei de pôr batom ou gloss à custa disso) ou "Stôra, dê-me só um beijo, só um beijinho"..imaginem...duas horas numa aula sempre a ouvir estas coisas... E quando eu me virava para o quadro? Era ouvir arfar atrás de mim...sentia-me como um bife em frente de um cão faminto...


Um dia, o André levanta-se a meio da aula (eles são obrigados a usar sempre um fato de treino idêntico) com uma bruta erecção...daquelas que não dá para disfarçar que não vemos... e pergunta "Stôra, já viu o estado em que me deixa? Não me quer dar uma mãozinha? (e sorri para mim) Ou então deixa-me ir à casa de banho...". O resto da turma desatou a rir.
Achei que não devia dar parte de fraca ou de incomodada e nunca fui de me chocar muito com estas coisas, por isso virei-me muito calma e respondi "Podes ir à casa de banho, André. (esperei uns segundos e acrescentei) Mas não te esqueças de lavar as mãos antes de voltares!". Desatou tudo a rir.
O André lá foi, meio chateado por aquilo não ter tido o impacto em mim que ele esperava. Eu fiquei com uma história para contar aos meus amigos.

 

O que eu não acho correcto é que não temos qualquer opção de recusar uma colocação destas. Não há um espaço onde se possa por uma cruz no concurso de professores a dizer que não queremos ir para um local destes. Não é fácil dar aulas a miúdos destes e nós não temos qualquer preparação para isso. Muita gente não tem espírito para isso. Eu aguentei-me muito bem, mesmo assim. Mantive a sanidade. Mas tenho duas colegas que acabaram o ano a tomar antidepressivos e em terapia.

 

música: We don´t need no education
sinto-me: cansada
tags:
publicado por M. às 00:59
link do post | Estavas a dizer... | favorito
14 comentários:
De M. a 27 de Novembro de 2007 às 20:43
Bem, deste aulas na Casa Pia? imagino.. Concordo contigo. Devia existir ma secação do concurso para este tipo de escolas. Há pessoas que não conseguem aguentar.
Beijinhos
De Miss Pepper a 27 de Novembro de 2007 às 22:08
Dei aulas num dos piores colégios da Casa Pia, em Xabrégas que é enooorme... e como se isso não bastasse... a um currículo alternativo!!! Jurei para nunca mais a bem da minha sanidade mental. Epá eram só miúdos avariados da pinha, a tutoria não agia... Sabes o que fizeram uma vez? Fizeram um corredor à porta da sala de professores e cada professora que entrava chamavam-lhe put*. E ninguém fez nada! Devem ter achado imensa graça!

Xinhus! :)))

Comentar post

.mais sobre mim

.Últimas...

. Eu quero, eu quero!!

. Quem é uma menina respons...

. É preciso ir-se ao médico...

. Estou a morrer...

. You are loved, don´t give...

. Sem comentários...

. Sem dúvida!!

. Regra básica: Os homens s...

. Cristovam Pavia

. Maio

.Junho 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
14
15
17
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.pesquisar

 

.tags

. todas as tags

.História

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

contador de visitas
contador de visitas