Domingo, 30 de Março de 2008

Reencontrei-me

Sei que tenho andado desaparecida... mas mais do que de falar, ou neste caso escrever, precisei de reflectir...

Não, não andei de neura, deprimida, enfiada em casa... escusam de pensar em bater-me!! Estas duas semanas foram muito boas, agitadas, com muitas cafézinhos e jantares com amigos... e em que eu finalmente consegui meter a cabeça em ordem.

Reencontrei-me.

Depois de um ano e meio a lutar por uma relação (que tem dois anos e meio!), em que acabei por sentir que a culpa era minha, que exigia demasiado, percebi que me estava a desvalorizar cada vez mais... a minimizar aquilo que eu sei que sou e o valor que que sei que tenho.

Lutei muito por esta relação para não cometer os mesmos erros do passado... (como já referi aqui). Achei que tinha encontrado A pessoa. Pelos vistos, enganei-me.

Quando se ama alguém, decidir estar com essa pessoa devia ser a decisão mais fácil e não a mais tortuosa, como o F. a faz sentir. Não tenho dúvidas que ele me ama, que pensa em mim como a mulher da vida dele, mas todo esse sentimento, pelos vistos, não é suficiente para ultrapassar os problemas dele em assumir a relação... em avançar uma etapa. Esperei, aguentei, contra tudo e contra todos, porque, como romântica que sou, achei que o amor iria ser mais forte. Mas para isso aturei coisas que acho que ninguém tem de aguentar. Coisas que eu não mereço e ele reconhece isso. Nessa luta, perdi a  minha essência, o meu orgulho, a minha força, a minha auto-estima. Perdi quem eu era.

Confesso que nunca pensei que isso me fosse acontecer a mim. Quem me conhece, reconhece a personalidade forte, que em princípio jamais seria subjugada numa situação deste género. Mas realmente aconteceu. Foi uma experiência, é uma aprendizagem.

Reencontrei-me. Percebi que tenho medo de ficar sozinha, como já vos tinha dito aqui. Mas esse medo não me pode impedir de cortar de vez, de deixar de ser marioneta nas mãos de outra pessoa. Ao sucumbir a esse medo não estou a ser a pessoa que eu sei que sou, nem a pessoa que eu quero ser. Fico igual ao F., que sucumbe ao medo de assumir uma relação. Não! Eu não sou assim. Eu luto, eu procuro melhorar-me a cada passo da minha vida.

Reencontrei-me. Voltei a olhar para mim e a ver a pessoa fantástica que eu sei que sou. Não vou estar com falsas modéstias, sei que tenho bastantes defeitos, mas tenho um coração enorme e sei que sou uma pessoa perfeitamente imperfeita. Mais, sei que como namorada, companheira, sou mesmo um espectáculo! O F. é o primeiro a reconhecer isso... Então, não vou estar a ser mais passatempo de ninguém. Neste caso, ele é que perde, porque eu fui a melhor coisa que lhe aconteceu na vida.

Reencontrei-me e estou muito feliz com isso. Estou com um sorriso enorme. Quero acreditar que mereço algo melhor. Uma relação digna desse nome. Um homem que me ame e não tenha medo disso (ah, e não podemos esquecer todos aqueles requisitos do Precisa-se...!!  ).

 

Tenho muita coisa boa na minha vida. Sou independente, tenho a minha casa, o meu carro, os meus amigos, um trabalho de que eu gosto (apesar de todas as chatices!)...

Falta-me o meu porto de abrigo, é certo. Falta-me alguém para beijar quando me apetecer (raios, gosto mesmo de beijos!!). Mas quero acreditar que ele anda por aí algures... e que algum dia, nos iremos encontrar. (bah, pois, eu sei que sou romântica!!). 

 

Obrigada a todos vocês pelas vossas mensagens de apoio. Agora, estou a contar convosco para me puxarem para cima, quando eu estiver a fraquejar!!

sinto-me: BEM
música: I feel good... claro!!
publicado por M. às 21:48
link do post | favorito
De espaço da raquel a 31 de Março de 2008 às 21:46
não posso deixar de te dizer que fiquei bastante contente por tudo o que li no teu BELO post, foste uma mulher de coragem e soubeste parar qd o teu coração e alma assim quiseram (coisa que eu durante 12 anos não fui capaz de fazer).
nesta "história" quem perdeu? nós já sabemos a respsota não é.
mostraste uma coisa que a maior parte das mulheres não é capaz que é VALORIZAR-SE.
tens todo o meu respeito, amizade e orgulho por teres posto um ponto final numa relação que te magoava e fazia de ti o que não eras.
muita força e comigo podes sempre contar para tudo o que precisares mas acho que isso já sabias não é verdade?
beijoca
es uma mulher com um M grande e que não se encontra assim ao virar da esquina
De M. a 2 de Abril de 2008 às 20:52
Amiga... inundei o teclado com baba dos teus elogios... :) obrigada pelas palavras! somos o máximo não é verdade? E quem perde, é ele, certo? :)
e eu sei que posso contar contigo!
beijinhos
De espaço da raquel a 3 de Abril de 2008 às 09:30
acho muito bem que tenhas inundado, pois foi mesmo para isso ;)
e claro nem ´q eu pensar de outra maneira, uma mulher como tu demostras ser só podia ser ele a PERDER mesmo a tua companhia e o teu afecto.
fica bem
beijoca
Comentar:
De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 


.mais sobre mim

.Últimas...

. Eu quero, eu quero!!

. Quem é uma menina respons...

. É preciso ir-se ao médico...

. Estou a morrer...

. You are loved, don´t give...

. Sem comentários...

. Sem dúvida!!

. Regra básica: Os homens s...

. Cristovam Pavia

. Maio

.Junho 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
14
15
17
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.pesquisar

 

.tags

. todas as tags

.História

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

contador de visitas
contador de visitas