Quarta-feira, 14 de Novembro de 2007

O meu inquilino (2º episódio)

Estes quase dois meses (que parecem uma eternidade!) de partilha de casa com o G. têm sido pródigos em acontecimentos e situações inusitadas.

Houve uma semana, em que eu andei uma menina bem comportadinha e fui ao ginásio várias vezes (boa!! para justificar aquilo que pago, sempre convém...) e sempre que cheguei a casa repetiu-se a cena que vou passar a descrever.

 

Chego a casa e passados 5 minutos entra o G., de calções e t-shirt, todo transpirado. Diz-me que foi correr 30 min. à volta do quarteirão, para abater uns quilinhos. Eu estou na sala a comer qualquer coisa, enquanto vejo uma série qualquer da Fox ou do AXN. Ele entra na sala e põe-se aos pulos em cima do tapete, seja, entre a mim e a televisão e pergunta-me se está a incomodar (não, claro que não, o espectáculo que estou a ter na sala é bem mais interessante que aquilo que eu estou a ver na Tv!), ao que eu respondo, que ele  está no meio do meu campo de visão.

Chega-se para ao lado, sempre aos pulos e pergunta-me se me incomoda que ele esteja a fazer aquilo na sala (lembrem-se que ele estava todo transpirado!!), ao que eu respondo, de modo um pouco sarcástico "Não! Então, por que é que me havia de incomodar tu estares a espalhar gotas de suor pela sala toda?!".

Acho que nesta fase qualquer pessoa percebia, que secalhar era melhor ele ir fazer aquilo para o quarto, mas não o G., o G. é imparável!! O que é que ele faz? Ele ri-se e continua! Depois deita-se no chão, mete os pés de debaixo do sofá, na zona onde eu estava com a cabeça, e começa a fazer abdominais!! Enquanto sobe com a cabeça na minha direcção, pergunta "Estou-te a incomodar?" e eu respondo, novamente sarcástica "Não, só estás a sujar o tapete todo com o teu suor.". E ele ri-se! Ri-se! Eu acho que, pelos vistos não fui bem clara e acrescento "Pelo Natal, vou ter que te oferecer um daqueles tapetes para fazer exercício, que assim já não sujas o tapete." A resposta do G. é "Eu também não transpiro assim tanto...além do mais, o suor é natural!!" E ri-se.

 Isto não é normal, certo? Qualquer outra pessoa iria perceber o que eu estava a dizer, certo? Será que sou eu que não sou explícita?

No segundo dia, em que o G. fez isto, eu achei que, já que o sarcasmo não estava a funcionar, ía mesmo ser directa e disse-lhe "Fogo, G., ao menos vai buscar uma toalha!!". Conseguem imaginar a reacção dele, não conseguem?

Riu-se!! (sim, temos um padrão...ou secalhar é mesmo uma disfunção nervosa, tipo espasmo muscular!). E ignorou-me completamente, dizendo que era só mais 5 minutos, por isso não valia a pena!

 

Resultado: percebi que o G. só fazia isto quando eu ia ao ginásio, portanto deixei de ir ao ginásio ou não o deixava perceber quando ia! E não é que ele nunca mais foi correr?

 Boa, a minha sala está salva e eu posso começar a poupar em Karpex.

 

sinto-me: desesperada
música: Help!
tags:
Quarta-feira, 7 de Novembro de 2007

O meu inquilino (1º episódio)

Devido ao constante aumento da nossa amiga euribor, a minha prestação da casa aumentou quase cerca de 40% no espaço de ano e meio (como é que isto é possível?!), passando de tolerável a insuportável. Sinceramente, não sei como é que algumas famílias conseguem...

Assim, face a este panorama, já que os ordenados não têm quase sequer aumentos, decidi arrendar um quarto..Foi uma decisão difícil. Estou habituada a estar sozinha, a ter a casa por minha conta e, de repente, ter outra pessoa (que eu nem sequer queria) no meu espaço... Além de que, nesta fase da minha vida, o que me apetecia mesmo era uma vida a dois.. se fosse para dividir casa, que fosse com o meu namorado/marido! Mas, como isso não é possível,  o que tem de ser, tem muita força e arrendei o quarto a um amigo meu, colega de mestrado. Pensei, bem, ao menos é uma pessoa conhecida, não tenho de estar com receio que me desapareçam coisas ou assim.. mas outras situações, algumas delas inacreditáveis, acontecem!!

 

O G., não tem qualquer sensibilidade para estar com outra pessoa...Tem sido um mês de tortura, em que eu quase me imagino a atirá-lo, acidentalmente claro, da varanda! Uma amiga minha diz que eu vou acabar por gastar o que ele me paga em terapia..e secalhar, não está muito errada.

Chego eu a casa, cansadita de mais um dia de aulas, às 17h e lá está ele...o menino G., com o seu pijama a fazer lembrar os do meu avô (tou a falar sério...), sentado no sofá a ver televisão! De realçar que o G., neste momento, não trabalha..portanto, sempre que chego a casa, lá está ele, exactamente no mesmo sítio, da mesma maneira..A sério, o sofá já está com uma cova maior naquele sítio!

Hoje não me contive e disse-lhe que ele não devia estar de pijama a esta hora, pelo menos na sala, porque eu podia chegar com uma colega ou uma amiga (argumento que faz bastante sentido, certo?).

 Resposta dele: mas qual é o mal? eu estou vestido!!

MAS QUAL É O MAL?? Vocês acham esta resposta normal? Reparem que o G. é um homem perto dos seus trinta, à espera agora de receber uma bolsa de doutoramento... supostamente, uma pessoa com educação!

 Sinceramente, que eu seja obrigada a vê-lo passear pela casa em pijama, pronto, sempre recebo para isso...mas as minhas amigas serem obrigadas a isso?! Às 17h da tarde? Sim, porque se fossem 11h da manhã, pronto, é como o outro...mas às 17h da tarde? Eu, às vezes, em dias de muita preguiça, fico de roupa de dormir ou assim..mas só quando sei que tenho a casa só para mim! Não vou arriscar  G. chegar e ver-me de camisinha de dormir! Até porque, secalhar ele ainda gostava!

 

É como diz uma amiga minha...Ainda se fosse um gajo bom!! 

 

sinto-me: A precisar de partir algo!!
tags:

.mais sobre mim

.Últimas...

. O meu inquilino (2º episó...

. O meu inquilino (1º episó...

.Junho 2008

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
11
14
15
17
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30

.pesquisar

 

.tags

. todas as tags

.História

. Junho 2008

. Maio 2008

. Abril 2008

. Março 2008

. Fevereiro 2008

. Janeiro 2008

. Dezembro 2007

. Novembro 2007

contador de visitas
contador de visitas